Uma cozinha milionária



De Norte a Sul, e de Leste a Oeste uma coisa é fato: todo brasileiro gosta de comer bem. E de mesa farta!!! Iguarias dos mais diferentes tipos não faltam na culinária do país conhecido pela caipirinha e feijoada. Mas não é só essa receita, criada pelos escravos nas senzalas, que encanta quem quer que seja. Outros pratos também fazem parte do artesanal gastronômico de um dos países mais conhecidos pela criatividade e originalidade na hora de criar na cozinha e por, principalmente, comer.

O Brasil é famoso no mundo todo não só pelo "criadouro" de chefs de cousine, que se tornou, como também, pela sua gastronomia ora inovadora e bastante diferenciada, ora tradicional e conservadora. Apesar de descender de uma mistura de culturas e elementos das cozinhas europeia, africana e indígena, o fogão brasuca, no fim das contas, acabou por ganhar uma autonomia que nem toda culinária no mundo tem: uma identidade que, onde quer que esteja, é inconfundível. Afinal, quem nunca reconheceu, na hora, o aroma de uma boa moqueca, à base de muito leite de coco, camarão e dendê, ou de um feijão branco à moda do matuto? Irresistível!

No Brasil, as comidas regionais são muito variadas de Estado para Estado, justamente por sua grande extensão e sua colonização, o que dá uma variedade enorme de ingredientes e sabores. Esta diversidade está diretamente ligada a origem da população que habita cada estado. Por exemplo, a culinária da região de Salvador e Recôncavo baiano é amplamente influenciada pelos sabores africanos, mas também pelos portugueses e indígenas.

Os hábitos alimentares variam de região para região de acordo com a história, tanto que é normal desconhecerem-se os quitutes de outras regiões. Assim, no litoral do Nordeste há grande influência africana na culinária, com destaque para o acarajé, vatapá e molho de pimenta; no Norte há uma maior influência indígena, no uso da mandioca e de peixes; no Sudeste há pratos diversos como o feijão tropeiro e angu ligados aos bandeirantes , em Minas Gerais, e a pizza em São Paulo, influência dos imigrantes; e no Sul do país há forte influência da culinária italiana, em pratos como a polenta e também da culinária alemã. O churrasco é típico do Rio Grande do Sul e do Mato Grosso.

Então, como nutricionista que sou, aqui vai então algumas preciosidades da Cozinha brasileira, aliada à nutrição e seus benefícios.

Água de coco - Saborosa, ajuda na reposição de eletrólitos (pois é rica em potássio), nos casos de infecção intestinal, uma vez que se assemelha ao soro fisiológico. A popa de coco verde, apesar de extremamente calórica (590 calorias a cada 100g), é bastante nutritiva. A água possui 22 calorias para cada 100 ml.

Acerola - Com alto valor nutricional, principalmente como fonte de vitamina C, essa fruta ainda fornece boas quantidades de vitaminas A, B1, B2, B3, além de sais minerais como cálcio, ferro e fósforo. De acordo com especialistas, 4 unidades de acerola por dia são suficientes para abastecer as necessidades de vitamina C de um adulto. Cada 100 gramas contêm 32 calorias.

Azeite-de-dendê - Esse óleo, consumido com moderação, permite a redução de colesterol, entre outros benefícios. Uma colher de sopa equivale a 89 calorias.

Feijão preto - Esse grãozinho, que faz par perfeito com o arroz, é rico em molibdénio, folatos, fibras, proteínas, magnésio, vitamina B1 (tiamina), fósforo e ferro. Ajuda no combate à prisão de ventre, afecções do cóln, anemias e convalescenças.

Peixe e Camarão - Além de baixo teor de gordura saturada, estes alimentos são ricos em ácido graxo, ômega 3, em proteínas (possuem todos os aminoácidos essenciais), vitaminas e minerais, tais como vitamina A, E, do complexo B e principalmente D, que possui importante atuação na calcificação óssea,prevenindo contra osteoporose. Quanto aos minerais, verifica-se grande quantidade de sódio, ferro potássio, magnésio, cobre, enxofre, fósforo, iodo, cálcio, flúor, selênio, manganês, cobalto e zinco. Uma porção de 100 gramas de camarão cozido equivale a 82 calorias. Já 100 gramas do filé de pescada cozida contém 97 calorias.

Caju - Típica da região Nordeste, o caju não é um fruto, e sim um pseudofruto. Apresenta um alto teor de vitamina C que chega a superar o da laranja, além de vitaminas do complexo B, como a niacina (vitamina B3), e vitamina A. Por conter essas vitaminas, ele auxilia no combate às infecções, aos radicais livres e aos problemas de pele. Possui também um mineral importante que atua no sangue, o ferro. As fibras presentes nessa fruta contribuem para o aumento do peristaltismo intestinal, contribuindo para a manutenção de uma microbiota intestinal equilibrada.

Goiaba - É benéfica por ser rica em licopeno e em fibras solúveis, capazes de se ligarem aos ácidos biliares, interferindo na absorção de gorduras. Ela ainda é fonte de vitamina C e possui apenas 57 calorias a cada 100 gramas. Um prato clássico que muita gente pensa ser calórico, o Romeu & Julieta (queijo com goiabada), tem apenas 171 calorias - a cada 30 gramas do doce e uma fatia de 25 gramas de queijo prato.




✯ ☆҉‿➹⁀☆҉☆  ✯ ☆҉‿➹⁀☆҉☆  ✯ ☆҉‿➹⁀☆҉☆  ✯ ☆҉‿➹⁀☆҉☆




Comentários