Espumante rosé nacional



Degustação de oito amostras prova o potencial da bebida e deixa para trás o mito de ser modismo ou vinho de mulher.

"Provar amostras de espumantes rosés brasileiros – esse foi um dos recentes desafios lançados à Confraria dos Sommeliers. O teste deveria ser às cegas, com avaliação de oito rótulos desse tipo de vinho. Para tanto, nos reunimos na sala de degustação da Miolo Wine Group, em São Paulo. Nosso objetivo era comprovar o potencial dessa bebida que por aqui já viveu uma fase de modismo e por muitas vezes só teve lugar garantido no universo feminino. 

Versáteis em harmonizações e adequados a nosso clima, os espumantes rosés acompanham muito bem aperitivos, frutos do mar, comidas frias, vinagretes, legumes grelhados, pratos provençais e aves. De grande frescor e com mais estrutura que os espumantes brancos, os rosés são inegavelmente bebidas sensuais. No Brasil é possível encontrar diversas alternativas de qualidade desse estilo de vinho. O melhor: com um custo-benefício muito bom, como comprova o primeiro colocado dessa prova, vendido por cerca de 30 reais. 

Em nossa degustação, é preciso dizer que havia espumantes produzidos pelo método clássico, no qual a segunda fermentação (que gera o gás carbônico do perlage) se dá na garrafa, e pelo método charmat, no qual essa segunda fermentação se dá em cubas de aço, com controle de temperatura. Por uma coincidência, no dia que estreava em nossa confraria, o jovem sommelier da Miolo, Willian dos Santos Triches, teve o espumante de sua casa como vencedor. Acompanhe o resultado".


1º Lugar
Espumante Miolo Rosé (Pinot Noir e Chardonnay, método clássico), 82,25 pontos.

2º Lugar
Chandon Rosé (Chardonnay, Pinot Noir e Riesling Itálico, método charmat), 82 pontos.

3º Lugar 
Ponto Nero (Chardonnay e Pinot Noir, método charmat), 81,25 pontos.

4º Lugar 
Empate: Terra Nova Rosé (Grenache, método charmat), 80,25 pontos, XX; e Panizzon (Cabernet Sauvignon e Merlot, método charmat), 80,25 pontos.

5º Lugar
Mais um empate: Paralelo 8 (Syrah, método clássico), 79,25 pontos e Pizzato Rosé (Pinot Noir, Merlot e Chardonnay, método clássico), 79,25 pontos.

6º Lugar
Dal Pizzol Rosé (Pinot Noir e Chardonnay, método charmat), 76,75 pontos.


* Didú Russo é fundador da Confraria dos Sommeliers.


ılı.lıllılı.ıllı..ılı.lıllılı.ıllı   

Comentários

  1. esse espumanteme lembra uma certa foto rs bjooo

    ResponderExcluir
  2. Boa Tarde Fabrícia Mesquita,

    Achei seu blog muito interessante, onde você busca tanta inspiração?

    Parabéns!

    Você tem facebook para que eu possa segui-la?

    Obrigado.

    Marcelo Sanches

    ResponderExcluir

Postar um comentário