Lista quente


E parece que a música brasileira está na moda!!! Finalmente esse boa notícia vem batento às portas das pessoas [na minha porta, sempre bateu, rs..]. Finalmente porque quando nascemos, foram dadas todas as possibilidades musicais que um ser humano tem direito. Claro, sou bastante eclética, mas o clássico, o jazz, a MPB sempre fizeram parte da minha "discoteca", do meu mundo.

Quando eu era criança e adolescente, por livre e espontânea vontade e bem longe do gosto usual dos adolescentes em minha época, optei pelo cancioneiro popular [também]. Algumas de Maria Bethânia, Elis Regina, Maysa, Gal Costa... e tantas outras [acreditem!!] que tocavam na vitrola, radiola [ou como queiram chamar] do meu avô! Adoro Marisa Monte, Adriana Calcanhoto, Djavan, Sandra de Sá, Ed Motta, Tim Maia, Toquinho, Tom Jobim, Chico Buarque... Daria o nome de vários!

Algumas pessoas perguntam: por que gostar de música brasileira? E temos todos os motivos do mundo [literalmente] para responder que é a melhor feita nesse universo em que vivemos. Só aqui você pode ouvir o tal do samba, aquele ritmo contagiante que levanta qualquer gringo da cadeira e mata de inveja qualquer músico que não fale português.

Outro fator importante são as letras das canções feitas por compositores inspirados que falam como ninguém de amor e realidade, misturando poesia e perfeição... e bem longe daquele I love you e seus derivados que se repetem incessantemente nas canções estrangeiras. [Salientando que adoro as músicas estrangeiras, vários artistas, só estou falando e defendendo a MPB].

Para quem ainda insiste na recusa, escutem João Gilberto, Caetano Veloso e Chico Buarque. Para os cheios de preconceito e descaso, ouçam Paulinho da Viola, Roberto Carlos e Tom Jobim. Cabe tudo nesse balaio musical chamado Brasil.

Pensando nisso e celebrando essa onda ufanista que anda por aí, farei uma listinha quente de alguns discos fundamentais [e que nem sempre estão nas grandes listas] para você encerrar definitivamente esse assunto em seu iPod e criar uma pasta MPB e ser feliz!!

ABC DA MPB

Ⓞ  Ângela Rô Rô Ângela Rô (1979). Cantora, compositora e pianista. Ponto de referência.

Ⓞ  Arnaldo Antunes lê lê lê (2009). Revisita a jovem guarda e o brega dos anos 70 com muita personalidade.

Ⓞ  Belchior  Alucinação (1976). Ouçam esse disco. Prometo que vai ficar sempre em sua vida.


Ⓞ  Cássia Eller  Com você meu mundo ficaria completo (1999). Surgiram cópias, mas não se enganem: só Cássia é original.

Ⓞ  Barão Vermelho 2  (1983). A malícia de Cazuza e a guitarra de Frejat. Necessário.

Ⓞ  Elza Soares  Do cóccix até o pescoço (2002). Uma sambista pop. Um disco moderno.

Ⓞ  João Donato  Quem é quem (1973). Pai da bossa nova, eu assino embaixo.

Ⓞ  Lulu Santos Tempos modernos (1982). O rei do pop. Letras que sabemos de cor e melodias que iremos assobiar eternamente.

Ⓞ  Maria Alcina  Confete e Serpentina ( 2009). Um liquidificador de doido que mistura novos e antigos.

Ⓞ  Maria Lima  Fullgás (1984). Compositora inspirada com uma personalidade.

Ⓞ  Marisa Monte  Mais (1991). Pedra de rumo fundamental na música brasileira, Marisa Monte é a maior de sua geração.

Ⓞ  Moreno + 2  Máquina de escrever música (2000). Beats minimalistas e letras desconcertantes. E nada mais foi como antes.

Ⓞ  Nana Caymmi  Voz e Suor (1983). Uma voz e um piano. E nada mais.

Ⓞ  Thiago Pethit (Berlim, Texas 2010) e Tiê (Sweet Jardim 2009) 2 em 1. Dois trabalhos sinceros, vibrantes e definitivos. Dá orgulho.

Ⓞ  Vanessa da Mata  Essa boneca tem manual  (2006). Com as letras mais inesperadas da nova MPB, nesse segundo disco ela apresenta suas armas.

Ⓞ  Wanderléa  Maravilhosa (1972). Tropicalista, lindo, leve e solto. Uma exceção. Um clássico.


E aí, gostaram da seleção? Escutem, seus ouvidos agradecerão muito!


•.¸¸.• •.¸¸.•

Comentários