" Doce chuva "



"E a chuva fria cai, cai longamente,
Cheia de perfumes das folhas lustrosas,
Cheia de éter, vaporosas,
  Cheia de céu...
E a chuva fria cai, cai docemente."



Carlos alberto de Araújo (1900 - 1940), poeta brasileiro
em Tempestade, do livro Antologia dos poetas Bissextos Contemporâneos
(Organização Simões)



  ☂ 

Comentários

Postar um comentário