Te cuida, cupcake!



Mistura de donut e macaron, o whoopie chega para concorrer com os bolinhos!

Ele é formado por dois cookies muito macios [quase biscoitos-muffins], e tradicionalmente era feito pelos colonos Amish [aqueles cristãos americanos ultraconservadores que usam chapelões, mas não energia elétrica ou automóveis] desde a década de 1920 na Pensilvânia, e recheado com creme de marshmallow. Nada light, mas, se consolar, não é frito como o donut. Na época em que surgiram, vinham nas lancheiras dos pequenos Amish, sendo recebidos por um "whoopie!" [eba!] da meninada.
Atualmente, também nos Estados Unidos, a moda foi lançada, outra vez, pela Magnolia, a bakery dos cupcakes de Carrie Bradshaw, de Sex and City, e anda fazendo sucesso com sabores de baunilha e de abóbora. Na Inglaterra, a onda começou com a Harrods e a Marks & Spencer, com direito a inclusão de berries e alcaçuz em massas e recheios.
Aqui, eles chegaram em primeira mão na La Vie En Douce, em São Paulo. "A versão tradicional tem massa de chocolate [R$ 4], mas dei uma abrasileirada: recheio de paçoca e sal [R$ 4], massa branca com coco [R$ 4] e de pão de mel [R$ 4]. Sem falar no matchá, um chá-verde que trouxe especialmente do Japão [R$ 4,80]", conta a chef Carole Crema. Rafael Barros, da Ópera Ganache, também na cidade, prepara-se para criar os seuswhoopies e não perder a frenteira nesse bonde. "Eles não estão prontos, mas estão vindo!", avisa o chef.
Difícil dizer se os Amish aceitariam as variações inusitadas, mas cabe uma conclusão: de novo, o bolinho da vez é norte-americano - já foi o brownie, o petit gateau [nos primórdios bolinho joe-joe], o muffin, o cupcake e, agora o whoopie. Uma exclamação derradeira?

God bless America!!


Comentários